Madoka Magica: Porque de Boas Intenções o Inferno está Cheio

Madoka Magica, a maior prova de confiança que eu já dei a imprensa especializada. Com todo o seu MOE e garotinhas mágicas com certeza nunca sequer passou pela minha lista de opções. Mas todo mundo falava, falava, e falava bem ainda por cima! Decidi baixar o primeiro episódio. E apesar de quase ter vomitado na cena das menininhas correndo e brincando de yuri enquanto iam para a escola em um dia ensolarado a animação da SHAFT e o fato de termos um bichinho super fofinho todo cortado e ensanguentado logo de cara, me fazendo deparar com um óbvio conflito de interesses e me interessar pela série.

Continuar lendo

Pandora Hearts: Sombrio e Colorido se Fundem em um Mistério de Séculos

Pandora Hearts é um dos poucos animês que assisti sem nem mesmo ler a sinopse. E por um motivo estúpido, que é a coincidência dele levar no titulo o meu primeiro nome. Mas, apesar de ter uma qualidade técnica questionável e um final que deixa qualquer espectador absurdamente no vácuo, PH é muito bom e mais do que vale a pena assistir (e depois correr atrás do mangá).
Continuar lendo

Ghost Hound: O que é Atividade Cerebral? O Que é Sobrenatural?

Ghost Hound. Um belo dia estava eu no Chuva de Nanquim quando me deparo com um post só sobre animês de terror. Não sou muito fã do gênero, mas o artigo falava sobre Shiki, então resolvi ver, por curiosidade. Acabei descobrindo um animê dos mesmos criadores de Serial Experiments Lain, só que com uma proposta totalmente diferente (na época eu não conhecia Boogiepop Phantom), e uma animação que prometia ser superior. Me dei muito, muito bem.
Continuar lendo

Mawaru Penguindrum: Excepcional ou Bobagem Disfarçada?

Todo mundo sabe a história de Mawaru ou eu vou ter que explicar? Tá, eu explico.

Família com irmãos muito diferentes unidos pela irmã fofa + irmã fofa com doença terminal + faremos qualquer coisa para salvar nossa irmã + penguins engraçados + stalker maluca + reflexões pronfundas sobre a vida o universo e tudo mais e o destino = Mawaru Penguindrum.

Mawaru é hilário no começo, tocante no meio e previsível no final. Por isso a minha decepção. Quando tudo começa a se encaminhar para um desfecho, você já sabe o que vai acontecer.

A arte é bonita, colorida, mas falha em alguns pontos, não é constante (e a falta de constância não me parece proposital nem se encaixa na história). A trilha sonora, maravilhosa.

Continuar lendo