Sakamichi no Apollon: Notas no Mel

Aê, eu voltei!! Desculpem o sumiço sem aviso prévio novamente. Menu de parceiros quase completamente atualizado (mas preciso que a @suzi_dono me passe o novo endereço dela).

Quando a Sakamichi… Hype, hype e hype. Mas a justificativa era boa e eu fiz questão de não pesquisar muito mais, para não me decepcionar.

Jazz faz slice of life ser suportável, não? Continuar lendo

Kuroshitsuji: Distorsão de Valores numa Lição de História

Kuroshitsuji. Um animê que  causou muito alvoroço, no começo, e até hoje tem uma legião de fãs. Eu o repúdiei quase de imediato, pelas imagens disponibilizadas pelo famigerado fandom. Shota. Com. SHOTA. COM. Não vou assistir isso.

Mãããs… Acabei assistindo, e de forma alguma me arrependo. Com uma trama cheia de ação, suspense e localizações históricas bem elaboradas, Kuroshitsuji me levou as alturas.

Re-assistindo agora, percebo que há muitos pontos falhos nessa aparente maravilha, além dos óbvios, que o deslumbramento inicial nunca nos permite localizar. Mas vamos ao post. Continuar lendo

Spice and Wolf: Bons Diálogos, Bons Fanservices

Sequer sei dizer o porque desse animê ter me chamado a atenção. A sinopse de onde eu o baixei estava confusa, o traço não é nenhuma novidade e não tinha ouvido falar muito bem dele. Mas por um acaso o encontrei e acabei baixando.

S&W é um animê muito bem feito, mas falha em muitos pontos básicos. E sua construção delimita muito seu público alvo, mas vamos lá.
Continuar lendo

Paint it, White: O Filme de Hetalia

Hetalia é um animê polêmico com um fandom gigantesco (a polêmica é por causa do maldito fandom, mas disso eu falo mais tarde), e seja em Axis Powers ou em World Series tem milhões de personagens e situações, o que me faria ficar aqui uma semana inteira (porque um dia é o que eu já levo para fazer um post satisfatório normalmente) para destrinchar de forma completa a série.

Por tanto, resolvi falar de Hetalia usando como base Paint it, White, o filme da série que é bem abrangente e dá para ter uma noção de como o animê funciona.

Como provavelmente a maioria já sabe, Hetalia tem como personagens os países do mundo, cujas personalidades vão ao encontro das principais características dos povos que neles residem, ou pelo menos os clichês e exageros que são usados para descrever a população.

Paint it, White se passa em uma situação hipotética de invasão extraterrestre e alienação (com o perdão do duplo sentido) da humanidade. Agora Itália, Japão, Alemanha, “América”, Inglaterra, França, China e Rússia tem que se unir para salvar o mundo. O único problema é que eles são muito egocêntricos e não conseguem trabalhar em equipe, deixando tudo chegar num nível crítico, para no final serem salvos pela inocência do Itália.
Continuar lendo