Hataraki Man: Frustrações e Conquistas

E no post número 50 do Kotodama, temos Hataraki Man, uma animê cuja crítica eu encontrei no ELBR e me chamou muito a atenção. Depois de muito procurar encontrei em espanhol (O QUE OS FANSUBS BRASILEIROS ANDAM FAZENDO QUE AINDA NÃO LEGENDARAM ISSO???) e apreciei cada minuto de seus 11 episódios.

Hataraki Man tem como proposta inicial acompanhar a vida de Hiroko Matsukata, uma editora/redatora de uma revista masculina chamada Jidai. Matsukata é extremamente dedicada, sendo o trabalho o carro forte de sua vida, e ao acompanhá-la em sua rotina corrida, cheia de entrevistas, relatórios e reuniões, vamos conhecendo um pouquinho mais do segundo ponto mais importante: As pessoas que a cercam.

Esse animê tem uma delicadeza acima do normal ao tratar do assunto trabalho. Pois por mais que Matsukata e seu modo “homem trabalhador” seja o suposto foco principal do animê, em cada episódio vemos uma realidade diferente, um mesmo serviço feito por profissionais diferentes (com a mesma profissão mas visões de mundo diferentes) faz toda a diferença. Temos tratado então nas entrelinhas ou nem tanto, os conflitos de não se fazer o que gosta, ou o que esperava fazer, a luta pelo próprio espaço… Condições de trabalho que não lhe parecem ideais, decepções de ver outro ter aquilo que você almejava e trabalhava por, pessoas que são favorecidas, pessoas que não se importam, pessoas que deixam trabalho nas costas dos outros…

Esse é o foco principal, mas temos também a luta de Matsukata para superar as próprias metas sem depender demais ou passar por cima dos outros, fazendo tudo sozinha e, mesmo que se sobrecarregando [conheço alguém assim], fazendo bem. Mas até que ponto pode levar isso sem deixar seus amigos e seu namorado pra trás é uma questão.

A trilha sonora é compostas de músicas letradas, em sua maioria com cantores deploráveis… Embora a abertura, além de mostrar a realidade de muitos trabalhadores (me identifiquei muito mesmo não trabalhando, faculdade integral é quase um emprego), tenha uma música com uma letra genial e um ritmo ótimo, que para minha surpresa é da Puffy Ami Yumi (quem se lembra?). A animação também deixa  a desejar para um animê de 2006, sinto que muito do traço se perdeu ali.

Ela é uma mulher como todas as outras, não vi nada demais no seu “modo homem trabalhador” que todo mundo não faça todo dia. É claro, tem mulheres que agem com mais elegância e feminilidade, mas a maioria das que eu conheço é esforçada, sem jamais perder a feminilidade, como Matsukata. Às vezes tive a impressão de que forçaram uma masculinidade inexistente nela, ou talvez seja só a realidade brasileira que seja muito diferente da japonesa mesmo.

Shinji, seu namorado, apesar de bonitinho, é o tipo de pessoa que me irrita. Que reclama de tudo, até da própria postura, mas não move um músculo na direção de melhorar as coisas. Forma um belo casal com a Matsukata, mas está longe de ter algo próximo de companheirismo. É o tipo de futuro que me dá arrepios quando penso sobre isso.

Kobayashi é surpreendentemente bem disposto, um ótimo amigo e colega de trabalho, dá para contar com ele desde uma ajudinha naquela matéria cujo histórico você não consegue levantar até aqueles problemas pessoais, quando você precisa de companhia pra sair e beber.

Nagisa é atrapalhada e cheia de boas intenções. Ótima pra ser amiga, mas não é alguém que eu quereria como colega de trabalho…

Sugawara é o típico cara que está no lugar errado. Seu mau humor decorrente do não reconhecimento de seu serviço até por ele próprio e seu ódio pelas mulheres que se interessam pelo que ele tanto despreza… Não tem como ser feliz mesmo. Mas sua última aparição… Seria aquilo um shipping ou só uma demonstração de compreensão (rara) mesmo?

Tanaka é jovem e quer aproveitar a sua vida além de uma baia de escritório, mas isso na maior parte do tempo só significa que ele faz o básico do básico e vai embora. Me lembra um estagiário folgado, ainda que não esteja totalmente errado.

Hataraki Man é uma lição. Um convite a reflexão de quem trabalha e um aviso para quem está entrando agora. Qual deles você vai querer ser? Essa foi a impressão que eu tive, no mundo capitalista não há muitas outras opções. E não espere um final feliz, definitivamente não. É seco e duro como a realidade, mas diz: Siga em frente!

Esse animê só está disponível em espanhol e inglês, será necessário caçar, mas vale a pena.

Anúncios

Um pensamento sobre “Hataraki Man: Frustrações e Conquistas

  1. Saudações

    Este anime aparenta ser uma lição de alto nível sobre diversas coisas, todas elas atreladas ao trabalho.

    Convivência é importante, fato. Mas lidar com as pessoas é algo muito difícil de se conseguir fazer, em várias ocasiões…

    No mais, parece-me ser uma obra de grande representatividade. A assistirei, possivelmente.

    Ótimo texto, Pandora.

    Até mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s