Hyouka: Grite Alto!

Começo da temporada passada, as primeiras impressões do Gyabbo! me chamaram a atenção para Hyouka. Embora um Slice of Life com mistérios escolares e traço de K-On não me atraísse nem um pouco, resolvi arriscar.

Hyouka trata de Oreki, um adolescente que acaba de entrar no colegial. O de sempre né? Só que a diferença é que, diferentemente do Watashi, ele definitivamente não quer entrar em nenhum clube. É contra sua postura de vida, que consiste em economizar energia ao máximo, não fazendo nada e fazendo o mais rápido possível o que é obrigado a fazer. Mas esse ano ele não tem opções, sua irmã mais velha (treinada nas artes do aikido) o intimou a participar do Clube de Literatura Clássica, para que esse não fosse fechado por falta de membros.

Mas para sua infelicidade uma garota já tinha se inscrito, o que não só quer dizer que ele não precisava ter entrado (o clube não fecharia) como que ele será obrigado a fazer algo, já que como único membro do clube ele tinha esperanças de ficar lá fazendo nada.

Essa menina, por sua vez, é Eru Chitanda, uma jovem bonita, cheia de energia, entusiasmada e super curiosa. Quase o oposto de Oreki. Mas opostos se atraem e ela exerce uma “estranha” atração sobre ele que quebra totalmente seu estilo de vida. Juntam-se ao clube também Satoshi e Mayaka, amigos de Oreki que estudaram com ele no Fundamental. Decidem como objetivo do clube desvendar todo e qualquer mistério que lhes esteja ao alcance.

Hyouka foi uma surpresa. Por vezes entediante, por vezes empolgante, uma história pouco linear, como todo Slice of Life, centrada principalmente nas diversas formas de dedução utilizadas por Oreki com a ajuda das informações de Satoshi e o senso crítico de Mayaka. Chitanda sempre no papel de pavio acesso. Não esperava muito, é bonito, bem animado, bem colorido, você engole o chara desing (pelo menos se, como eu, vc tiver odiado K-On. Senão sem grandes problemas), histórias legaizinhas…

Mas Hyouka te pega no ponto em que você já não estiver esperando mais nada. Sem aviso prévio, vai descascando um a um os personagens, que saem de suas personalidades clichê vazias e desinteressantes para se tornarem um prato cheio de vida humana límpida e borbulhante.

Alguns casos chamam mais atenção (meus favoritos foram o Hyouka, o filme e o Juumonji), outros menos, os personagens vão se desvelando e você começa a torcer pela evolução deles enquanto pessoas… E o animê acaba. Com um final não muito inovador, até vago, eu diria, e que deixa na boca um gosto de quero mais muito forte.

Oreki é o protagonista entediado. Tem se tornado meio recorrente de uns tempos pra cá, me pergunto se é uma denúncia silenciosa sobre o que caracteriza essa geração de 90 pra cá… De qualquer forma, ele se envolve com a Chitanda e sai de seu comodismo, aos poucos. Porque um estado de tédio não envolve só um desinteresse pelo mundo, mas também uma ausência de laços humanos, e isso vai se quebrando, chegando ao ponto dele gastar energia deliberadamente por “vontade própria”.

Chitanda é a personagem que menos me encantou. Empolgada demais, fica cansativo. Mas é uma garota séria, que por mais avoada que seja (sinto cheiro de MOE, mas nada escrachado), carrega os pesos da responsabilidade de várias formas e é marcada pelo modo de vida de sua família de uma forma visível.

Satoshi é o típico amigo animado que adora encher o saco, a diferença essencial está no quanto ele conhece Oreki e vice-versa. É uma amizade construtiva, mesmo que as questões para o crescimento de cada um seja totalmente diferente. Ele é disposto a ajudar, e tem sempre mil tarefas, mas nunca falta quando precisam dele.

Mayaka é uma jovem crítica, mas ainda adolescente demais para separar a própria emoção de suas opiniões e dos fatos em si. Seus interesses estão declarados desde o começo e ela joga com as armas que tem, tentando se afirmar no meio dos embates nos quais se vê metida.

Hyouka, como Gosick, é um daqueles animês simples, pra qualquer um, até os “não-iniciados” podem o apreciar. Claro que tem um tempo de desenvolvimento e um gênero não tão abrangentes, mas o roteiro em si é acolhedor. E os personagens… Quem tem gosto pelo ser humano, por menor que seja, provavelmente gostará do que nos é mostrado.

Você encontra Hyouka para baixar aqui.

Anúncios

Um pensamento sobre “Hyouka: Grite Alto!

  1. Hyouka tá na minha enorme lista desde a estréia. O traço à la K-on meio q me irrita mas parece ser um anime bem interessante apesar do final meio q em aberto. Mesmo assim darei uma chance, thanks pela review!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s