Madoka Magica: Porque de Boas Intenções o Inferno está Cheio

Madoka Magica, a maior prova de confiança que eu já dei a imprensa especializada. Com todo o seu MOE e garotinhas mágicas com certeza nunca sequer passou pela minha lista de opções. Mas todo mundo falava, falava, e falava bem ainda por cima! Decidi baixar o primeiro episódio. E apesar de quase ter vomitado na cena das menininhas correndo e brincando de yuri enquanto iam para a escola em um dia ensolarado a animação da SHAFT e o fato de termos um bichinho super fofinho todo cortado e ensanguentado logo de cara, me fazendo deparar com um óbvio conflito de interesses e me interessar pela série.

Mahou Shoujo Madoka Magica conta a história de Madoka Kaname, uma menina de 14 anos que tem uma vida normal, uma família com quem se dá bem e amigas na escola… Um dia entra em sua classe uma aluna transferida, que mais tarde Madoka encontra numa situação deveras estranha.

Akemi Homura estava atacando Kyuubey, um bichinho pequeno e frágil que pede socorro a protagonista. Apartir desse momento a vida de Madoka vira do avesso, pois ela descobre sobre a existência de garotas mágicas, meninas que trocaram um desejo concedido por Kyuubey por super-poderes e a responsabilidade de enfrentar as bruxas. Bruxas são seres que se alimentam do desespero e dor das pessoas, e que podem levá-las a morte.

A missão das garotas mágicas é enfrentá-las em uma luta até a morte.

Agora ela e sua amiga Sayaka tem em suas mãos um escolha de vida, e sob a tutela da garota mágica veterana Mami irão decidir se trocarão tudo por um desejo seguido de uma vida de riscos.

Madoka Magica tem o roteiro básico de todo Mahou Shoujo, mas se diferencia em muitos momentos por sua crítica ao cor de rosa desse gênero onde as menininhas fofas sempre lutam contra monstrinhos pela paz na terra e por mais que sofram nunca acontece nada muito terrível (se considerar o tamanho da responsabilidade que lhes é entregue).

Mas a questão é: Porque descontruir o gênero? Bem, comecemos pelo horário de exibição, uma da manhã. Não foi feito para destruir a infância das criancinhas. Foi feito para os otakus (que no Japão SÃO hardcore, diferente dos nossos auto-denominados otakus que são mais sem noção do que a gente já percebe, uma vez que se colocam no limiar de uma sociedade que admiram por vontade própria) que não podem perder a oportunidade de ver suas menininhas frágeis, fofas e de roupas curtas… E Madoka praticamente chutou o saco deles.

Além de toda inovação me gerar altas doses de serotonina pela surpresa, o roteiro ainda foi muito bem estruturado, usando o clichê de personagens de forma inusitada a maior parte do tempo, e até mesmo chutando o saco de toda a sociedade japonesa (que é mais complicada nesse sentido) e das sociedades em geral, com toda a sua castração e sacrifícios de um indivíduo em pró do “universo” (altos spoilers ocultos now).

As cenas de luta são animadas com um nível próximo a perfeição, com a técnica de arte e colagens típica da SHAFT, acompanhadas também por uma música instigante do grupo Kalafina (o mesmo de Lacrimosa de Kuroshitsuji), Magia.

SPOILER O que me interessou muito também foi o acúmulo de energia através do tempo devido ao investimento de Homura e todo o seu esforço em salvar Madoka. Me pareceu uma metáfora interessante sobre o valor daquilo pelo que nos esforçamos, e ficou forte porque se tratava de uma pessoa. É importante saber que por mais que não se veja um resultado em uma relação que a gente se esforça para manter, estamos a fortalecendo, mesmo que nem tudo acabe bem no final… FIM DO SPOILER

Por falar em final… É minha única frustração quanto a Madoka Magica no fim das contas. Reassistindo agora, sem todo aquele impacto e choradeira que me causou num primeiro momento (já disse que sou fraca para dramas!), foi um pouco decepcionante. Num primeiro momento tinha acreditado na genialidade da crítica de MSMM, mas temos um final em que por mais que pareça ruim, tudo está perfeitamente bem. O MOE vence no final, de uma forma que eu até esperaria em um animê das duas da tarde, não num animê com uma proposta agressiva ou superflat.

Quanto aos personagens, temos a própria Madoka, que me pareceu uma ótima protagonista. Não é frouxa demais, até embarca em experiências assustadoras quando extremamente necessário… Embora não esteja preparada para se arriscar em aventuras por apenas um desejo… Final horrível, mas ainda assim, ela me ganhou ao longo da série por não fugir de sua própria personalidade.

Homura me irritou com toda a sua flutuação-de-humor-quase-que-uma-tsundere, mas sua luta foi muito bonita e dolorosa. Eu achei um pouco superficial a construção da relação (dizem que em Black Rock Shooter é pior, então relevei) que concretizou toda a história, mas tá valendo.

Achei a Mami muito suspeita com toda aquela fofura e disponibilidade… Eu ri no fim das contas.

A Sayaka me parecia uma ótima pessoa. Como garota mágica me irritou demais, pois ela foi avisada, e se tem uma coisa da qual tenho raiva é de quem se arrepende das próprias escolhas e põe a culpa nos outros, descontando em quem não tem nada a ver. Tem de se ter maturidade para lidar com as consequências de escolhas, ou se manter em seu próprio caminho.

A Ryoko… Sei lá, achei o final dela foda, assim como sua história de vida, o motivo de sua escolha. Mas a personalidade dela também me irritou.

Kyuubey coisa linda!!! Melhor parte de MSMM! O bichinho fofo inteligente e filho da puta que TEM uma causa maior, TEM motivos, NÃO É cruel. Fico com sua frase (aproximadamente): “Se não tivessemos vindo você estaria nua em uma caverna”.

Mahou Shoujo Madoka Magica vale a pena. Mas não é revolucionário. É um entretenimento muito, muito bem feito. E que te dá umas belas surpresas, uns plots twists e uma bela tapeada em quem esperava superflat DD:

Você encontra Madoka Magica para baixar aqui.

Anúncios

10 pensamentos sobre “Madoka Magica: Porque de Boas Intenções o Inferno está Cheio

  1. Saudações

    Em primeiro lugar, ficou muito boa esta review (análise). Bem explanada e conduzida.

    Madoka Magica chamou a atenção por diversos fatores, sendo que muitos deles estão citados em seu texto, Pss. Entretanto, senti uma certa “carga pesada” em alguns momentos deste post.

    O melhor exemplo está na avaliação as persoangens. Devo admitir que concordo quanto a Sayaka e a Madoka em número, gênero e grau, com o que escreveste. Mas discordo muito sobre a Homura que foi, pessoalmente, a personagem que serviu de engrenagem para o anime, seja pelo seu comportamento atípico e, principalmente, por tudo aquilo que ela buscava para tentar [salvar] a Madoka.

    Mas deduzir que o Kyuubei não é mal fez eu me sentir, meio assim, chato. Tudo bem que ele tenha os seus propósitos e razões para ser e agir da forma como se fez mostrar no anime. Mas a sua essência não é glamourosa, muito pelo contrário: ele consegue ser ardiloso quando quer (e foi) e muito frio. É a tal da natureza Incubator. Ele é mais cruel do que se pode imaginar…

    Sabe, vi e revi algumas vezes o final do anime e, ao meu ver, ele continua muito condizente. Para ser bem franco, ficou melhor do que as expectativas iniciais que eu tinha para a obra.

    Mas ficou ótimo o texto, Pss. Pode ter certeza disto.
    E esta foi Puella Magi Madoka Magica, o segundo melhor anime de 2011 para mim e… #fogedaspedradas.

    Até mais!

    • Muito obrigada!

      A questão é que não achei Homura atípica. Ela simplesmente não tem uma construção até que se revele sua história. Na minha opinião, é claro.

      Ele não é muito frio. Muito frio é quem tem sentimentos, os compreende e os ignora. Kyuubey tem outra essência. Ele não tem sentimentos, ele age com a finalidade de manter o universo em equilíbrio. É quase um anti-herói.

      Eu gostei muito de Madoka, só me decepcionei com o final msm, mas com ctz está entre os melhores do ano passado.

      Até!

  2. Engraçado que esse final, foi surpreendente pois com o histórico do Gen Urobuchi, todos estavam esperando por um final trágico. Bem, de certa forma acaba sendo frustrante com a mensagem da série, mas de um ponto de vista técnica, acho o interessante. Acredito que o final sendo aquele, foi proposital ao não colocar um ponto final e deixar em aberto uma possível sequência (tendo em vista o mega sucesso do anime). De qualquer forma, a Madoka teve que se sacrificar né. Ao menos não voltaram atrás e encontraram um solução covarde para o conflito.

  3. Até concordo com seu ponto de vista mas discordo com a parte do ” moe vence no final”. Acredito que a proposta do anime e a mensagem que ele se dispõe a promover é muito forte para qualquer pessoa que goste do Mahou Shoujo ou que viva em uma cúpula de cristal acreditando no melhor das pessoas. O final pra mim foi inesperado sim, eu fui até o fim da série acreditando na total desgraça de todas e mesmo que , talvez fosse previsível madoka ” salvar a todos” , eu não esperaria que ela sacrificaria a sua existência para um bem maior ao qual nem ela mesmo teve a dimensão. O final pode parecer, ou talvez seja, um gancho para uma possível próxima temporada, mas para mim foi simplesmente deixado a seguinte ideia, que não importa o quanto você se esforce para que tudo ao seu redor fique bem, ou que se o melhor é dar tudo de si para algo maior, isso não fará com que o “mal” seja totalmente destruído ou extirpado do mundo. O anime todo é feito para ser pensado, as atitudes, os diálogos e até mesmo o final. Não sou fan-boy e muito menos perito no assunto, mas acredito que MSMM só “entretenimento” pra quem só quer enxerga-lo assim.

  4. Adorei a parte: “Kyuubey coisa linda!!! Melhor parte de MSMM! O bichinho fofo inteligente e filho da puta…”, achei muito bom o que você disse, principalmente da Sayaka, ela realmente n tinha cabeça para ser uma Mahou Shoujo

  5. Gostei muito da sua review e concordo em vários pontos, mas o meu pensamento com relação as personagens foi outro. Primeiramente a Madoka: considerando sua idade e maturação, para uma protagonista ela é até bem acima da média – até por que, convenhamos, mundo dos animes já está saturado de garotas com espadas matando seres e garotos inicialmente inúteis descobrindo tem algum super poder – pela sua situação de ter o peso da responsabilidade pela vida de milhões de pessoas nas costas, a sua decisão final meio que me surpreendeu, e acabei gostando dela. Sayaka: inicialmente ela foi a personagem que mais me irritou, mas depois de vários dias pensando nela e em suas decisões, acabei tendo a conclusão de que eu me irritei com ela pelo fato de ela ser – ao meu ver – a personagem mais ‘humana’ do anime, ela erra e tenta concertar o erro com um acerto e acaba errando mais uma vez, ainda não consigo aceitar a sua linha de pensamento mas *spoiler* dar a sua vida em função de outra pessoa */spoiler* é algo que quase ninguém teria coragem de fazer. Ryoko: bem, eu realmente gosto desse tipo de personagem que age de acordo com suas próprias convicções e verdades ao invés de se doar pelos outros, sem aceitar a ajuda de outros ou causar uma sensibilidade quanto a si mesma, então ela já ganhou meu gostar de graça, mas sempre achei o seu jeito de lidar com situações difíceis um tanto exagerado. Mami: infelizmente não pude ter tempo o bastante analisando-a, mas concordo que ela realmente me causou estranheza, e com um final tão brutal como aquele, não pude deixar de sentir um aperto na garganta. E finalmente a Homura: ela de longe é a minha personagem favorita – apesar de disputar o páreo com Ryoko – no anime. Ver o desenvolvimento da sua personalidade e a maturação de seus pensamentos, foi realmente incrível, e apesar do pano de fundo yuri – ou shoujo-ai, como preferir – senti a profundidade de seu sentimento pela Madoka, ainda que sejam quase obsessivos – é aquela velha história de ver uma luz no fim do túnel, ela enxergou a Madoka como a única pessoa que se importou com ela de verdade, e tivemos situações parecidas com vários outros personagens, um exemplo clássico é a Lucy de Elfen Lied – são realmente tocantes. E eu amei o Kyuubei *—–* Apesar dos pesares, ele foi uma personalidade mais que bem construída. Ah, e uma notícia: haverá um filme de MSMM que conta a história da Homura após o final do anime, estou super ansiosa *uuuuu*
    Chu~

  6. Estava navegando procurando reviews de coisas que já assisti e me deparei com seu blog… Gostei de sua clareza na crítica e gostaria de te dar um conselho de assistir o último filme da série – se não se importa de assistir o filme faltando uns 10-15% de tela perdendo as faixas superior e esquerda, tem em inglês na Nyaa Torrents

    Achei um fechamento ideal para o que vc achou ruim do fechamento da série. Ele acompanhou o clima de desconstrução e manteve ele até o final, tirou aquele clima de “tudo ficou legalzinho apesar de tudo”. Mostra que a Homura está realmente disposta à tudo pela amiga sem dó nem piedade seja pelo que for.

    Acredito que sem spoilers é o que posso passar nesta mensagem.

    PS: Não precisa assistir os 2 primeiros filmes se não deseja assistir a série de tv sem encerramento e comerciais coladas em 2 partes. Não é nada além disso, e acredito que nem resumo faz, é basicamente um Ctrl+C Ctrl+V de tudo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s